Pesquisar na web

APROVEITE!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

MÃOS NA FACE

MÃOS NA FACE

É EXTREMO QUANDO CORRE
A VENTANIA QUE INSISTE
E A ESPERANÇA QUANDO MORRE
É O DESALENTO QUE INCIDE.


PÓSTUMA É A SAUDADE
QUE VAIDADE ELA TEM
BRINCOU COM SUA REALIDADE
A DISSE NÃO TER NINGUÉM.

EIS QUE VOLTAS A VELHA E INCANSÁVEL FOBIA
FAZ-ME RESTRINGIR-ME AO VENTRE DO DESTINO
TIRÁSTE MINHA ALEGRIA
FAZ-ME NOVAMENTE SER MENINO.

SEM CHÃO. DEIXÁSTE TEU VÉU
A CEGAR-ME OS OLHOS VERDES
TIRÁSTE ATÉ MEU CÉU
E NESTE LUGAR MAL CONSIGO TOCAR AS PAREDES.


AUTOR: DIEGO CAMBOIM DA SILVA ®